Dicas de escrita

Esta página reúne algumas dicas de escrita, relacionadas ao tamanho das frases e parágrafos, ao uso de exemplos, à conexão entre ideias, ao uso da primeira pessoa e às palavras estrangeiras.

O tamanho das frases e dos parágrafos


Frases e parágrafos servem para organizar suas ideias. Por isso, quando eles são muito pequenos deixam o texto fragmentado, desconexo. Ele fica parecendo um texto infantil. Por outro lado, frases e parágrafos muito grandes deixam o texto confuso, complexo demais. Então, fique atento aos três pontos a seguir:

  • Prefira frases de 2 a 4 linhas.

  • Prefira parágrafos de 3 a 10 linhas.

  • Se seu parágrafo tem apenas uma frase, cuidado, talvez seja melhor dividir em mais frases.

Não é proibido usar frases e parágrafos menores ou maiores do que o indicado, mas evite fazer várias frases ou parágrafos pequenos em seguida.

Então, a sugestão é que você tente fazer parágrafos entre 3 e 10 linhas e com mais de uma frase. No entanto, não há problema em ter alguns parágrafos menores ou maiores do que isso. É apenas uma sugestão. Tome o artigo modelo como exemplo. Como você pode ver, ele tem alguns parágrafos pequenos, mas alternados com parágrafos médios.


Use exemplos


Você já deve ter passado por isso. O professor está explicando um assunto e você não está entendendo nada, então ele dá um exemplo e finalmente você entende do que ele está falando. Na verdade, nem precisa ser um professor. Pode já ter acontecido de você estar conversando com um amigo sobre uma série que vocês gostam e então ele diz que certo personagem é mau caráter. Você discorda. Ele insiste. Nesse momento, você provavelmente disse: "então, dê um exemplo de uma coisa ruim que ele fez".

Como esses casos mostram, exemplos são iluminadores, tornam as afirmações abstratas mais concretas, levam a teoria para a prática. São como ilustrações, nos ajudam a pensar. Por isso, use exemplos no seu texto.


Conectando as frases


É preciso que as frases do seu texto estejam interligadas. Isto é, que haja uma estrutura em que um trecho leve a outro, ao invés de uma "colcha de retalhos", em que há diversos trechos desconexos, que não se conectam.

Essa conexão entra as partes do texto é chamada de coesão textual. Um bom texto é um texto coeso, organizado. Aqui estão algumas estratégias e expressões (conhecidas como conectivos) que ajudam nessa tarefa.


Contraposições

É muito comum precisar apresentar restrições a uma ideia ou informações que entrem em conflito de alguma maneira. Essa situação é tão comum que o português possui diversas expressões para lidar com elas: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, apesar disso, embora, por outro lado, ainda que, ao invés de, pelo contrário etc.


  • As vendas têm aumentado nos últimos meses. Contudo, os problemas com fornecedores também aumentaram.

  • Embora a empresa esteja crescendo, os concorrentes também estão.

  • Apesar de a empresa estar crescendo, os concorrentes também estão.

  • Ao invés de investir o dinheiro restante depois de cobrir seus custos básicos, há pessoas que preferem consumir mais produtos.


Continuação

É muito comum que a frase seguinte reforce o que foi dito anteriormente, acrescentando informações. Nesses casos, você pode usar as expressões: nesse caso, nesse sentido, assim, dessa forma, dessa maneira, desse modo, além disso, por exemplo etc.


  • Toda empresa precisa estar atenta ao comportamento de seus concorrentes. Nesse sentido, é importante que o empresário participe de eventos empresariais na sua região de atuação.

  • A empresa contratou diversos funcionários. Além disso, investiu na criação de novos produtos.


Reafirmação

Em outras situações, você quer dizer a mesma coisa, mas com outras palavras. Nesses casos, utilize as seguintes expressões: isto é, quer dizer, em outras palavras, ou seja, dito de outra maneira, em resumo, em suma, em síntese etc.

  • Os clientes estão interessados em pagar o menor preço, isto é, em conseguir o maior benefício com o menor custo.


Repetição

Uma das características de um bom texto é usar as informações que já foram apresentadas para desenvolver novas ideias. No entanto, se você fizer isso sem avisar ao leitor, ele pode achar que foi um descuido seu e considerar seu texto repetitivo ou mal feito. Por isso, ao retomar uma ideia, use expressões tais como: como já foi dito, como visto anteriormente, como apresentado na seção anterior, como visto acima etc.


  • Como visto anteriormente, registrar os gastos usando uma planilha eletrônica é essencial para ter clareza sobre sua vida financeira.


Semelhança

Também é muito comum que você queira aplicar uma ideia em mais de uma situação, isto é, que queira enfatizar que dois casos são semelhantes. Para isso, utilize as expressões: do mesmo modo, da mesma maneira, o mesmo se aplica a, assim como etc.


  • Os empresários buscam evitar custos. Do mesmo modo, os consumidores buscam o menor preço.

  • Assim como os empresários buscam evitar custos, os consumidores buscam o menor preço.


Causa e efeito


A relação entre dois acontecimentos pode ser apresentada a partir da causa ou do efeito. Quando começar pela causa, use expressões tais como: dado que, uma vez que, visto que, diante do fato de que, supondo que, por isso, logo, portanto, enfim, dessa forma, etc.


  • O endividamento da empresa aumentou na última década. Por isso, a diretoria pretende vender parte dos ativos.

  • O endividamento da empresa aumentou na última década. Portanto, a diretoria pretende vender parte dos ativos.

  • Dado que o endividamento da empresa aumentou na última década, a diretoria pretende vender parte dos ativos.


Se preferir começar pelo efeito, as seguintes expressões são úteis: porque, pois, dado que, uma vez que etc.

  • A diretoria pretende vender parte dos ativos, pois o endividamento da empresa aumentou na última década.


Listas


Quando seu tema possui mais de um tipo, aspecto, elemento, perspectiva etc., uma boa maneira de dar estrutura a seu texto é criar listas.

  • dois tipos principais de empresa: familiares e não familiares.

  • O desempenho da empresa pode ser explicado por três fatores. Em primeiro lugar, ...

  • três aspectos importantes na gestão de pessoas. O primeiro deles é a …

Em segundo lugar, é preciso levar em consideração ...

  • O endividamento insustentável pode ser visto sob duas perspectivas. Por um lado, ...

Nas situações acima, cada item pode ser explicado em uma frase ou em parágrafos diferentes, dependendo do tamanho da explicação. Quando quiser incluir explicações curtas sobre cada um dos itens, uma boa opção é criar listas de tópicos. Por exemplo:

três modelos de finanças conjugais:

  • separação completa com divisão de despesas: o modelo adequado para casais em início de relacionamento e quando há poucas despesas em comum;

  • reunião parcial com criação de um fundo comum: o modelo adequado para casais com rendas e/ou personalidades financeiras diferentes e que possuem muitas despesas em comum;

  • reunião completa: o modelo adequado para casais em relacionamento sólido com rendas e/ou personalidades financeiras muito semelhantes e muitas despesas em comum.

Além desses exemplos, também são úteis as expressões que servem para introduzir um assunto: primeiramente, inicialmente, antes de mais nada, em primeiro lugar etc.


O quadro abaixo resume os conectivos apresentados.

Abreviaturas

Quando usar uma abreviatura, no primeiro uso coloque o nome por extenso antes e abreviatura entre parêntesis depois. Nas próximas vezes, basta usar a sigla. P. ex., "uma pesquisa feita pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) identificou falhas em 20 mil processos. O INSS atribuiu 80% delas a fraudes".

O resumo de seu artigo e o texto principal dele contam como textos diferentes. Então, é preciso colocar a sigla por extenso no primeiro uso dela nos dois lugares.

As palavras estrangeiras e os nomes de empresas

Em geral, palavras estrangeiras devem estar em itálico, com exceção daquelas que já foram incorporadas ao português (site, performance etc.). No entanto, quando elas vão se repetir muito durante o texto, talvez seja melhor não usar o itálico, para não chamar a atenção do leitor desnecessariamente. Fica à sua escolha. P. ex., se seu artigo é sobre a Amazon, essa palavra não precisa estar em itálico. O mesmo vale para nomes de empresas, programas de TV, filmes ou livros. Eles também devem ficar em itálico, mas talvez não quando sejam muito repetidos durante o texto.


O uso da primeira pessoa

Evite escrever seus textos acadêmicos na primeira pessoa ("como podemos ver...", "sabemos que as empresas..." etc.), prefira verbos impessoais ("é possível perceber...", "sabe-se que as empresas...", "é sabido que as empresas" etc.). Você já aprendeu essa regra nas dissertações do Enem e ela continua valendo na universidade. Embora haja certas áreas científicas que aceitem o uso da primeira pessoa (principalmente as pesquisas mais qualitativas em ciências humanas), a maior parte dos professores considera errado usar a primeira pessoa. Então, na dúvida, é melhor usar sempre a terceira pessoa.