Como escrever

O objetivo da disciplina Prática de Pesquisa é te ajudar a aprender a pesquisar um assunto e colocar suas ideias no papel. Isso é importante para seu TCP, TCC e para os trabalhos das outras disciplinas. Porém, esse é apenas o motivo mais imediato. A verdade é mais profunda.

O Ministério da Educação que exige que você seja capaz de fazer trabalhos acadêmicos porque eles estimulam habilidades que são importantes para contadores, economistas, atuários e administradores. Em outras palavras, seus clientes, seu chefe e seus colegas de trabalho vão considerar importante que você escreva bem.

Essa habilidade que vai aparecer em diversos momentos da sua profissão:

  • você vai conversar com clientes por whatsapp;

  • vai conversar com colegas por email;

  • vai precisar escrever relatórios de auditoria;

  • vai precisar escrever projetos de desenvolvimento de novos produtos e serviços;

  • nesses textos, vai apresentar ideias que precisam ser baseadas em informações confiáveis. Por isso, você não será levado a sério se não tiver feito uma boa pesquisa sobre o assunto de que está tratando;

  • além disso, muitos desses relatórios e projetos serão escritos em colaboração com colegas e serão revisados pelo seu chefe. Nessas situações, você só será ouvido se tiver o que falar e souber se expressar bem.

Em resumo, se não desenvolver sua capacidade de escrever, suas oportunidades profissionais serão limitadas.

Claro, você não precisa se tornar um escritor e nem se apaixonar pela literatura. O mais importante é não cometer erros gramaticais básicos e conseguir apresentar as ideias de maneira clara.

Porém, há algo que você não pode esquecer. Aprender a escrever não é como aprender o nome de uma pessoa ou preço de um produto. Escrever é uma habilidade, não conjunto de informações. Por isso, é preciso praticar. Se não treinar sua escrita, é como se você ficasse apenas lendo sobre andar de bicicleta e somente montasse em uma bicicleta de verdade no final do curso.

Como treinar a escrita?

Como vencer a dificuldade de colocar as ideias no papel?

Escrevendo, claro. Tenho sete dicas:

  1. Leia mais. Só isso.

  2. Comece simples: Comece com um objetivo e uma estrutura simples. Apenas depois que conseguir fazer o simples, pense em desenvolver algo mais complexo. Afinal de contas, um trabalho ruim é muito melhor do que nenhum trabalho. Não deixe o ótimo ser inimigo do bom.

  3. Não demore a escrever. Quando já tiver alguma organização mínima sobre o assunto na sua cabeça, escreva. Não espere ler tudo o que você quer ler, não espere ter muita confiança ou clareza. Assim, você já terá um texto com o qual trabalhar e não sofrerá com a ansiedade causada pelo medo de não conseguir. Repita comigo, um trabalho ruim é muito melhor do que nenhum trabalho. Não deixe o ótimo ser inimigo do bom.

  4. Revise seu texto diversas vezes. Escreva de manhã e releia à tarde. Ou escreva hoje e revise amanhã. Mesmo no caso de escritores experientes, a primeira versão quase nunca é a melhor que ele é capaz de fazer. E, na maior parte das vezes, mesmo no caso deles, a última versão também não é perfeita. Ora, é por isso que as editoras exigem que o texto passe por revisores e por editores.

  5. Mostre seu texto para outras pessoas. Para os colegas, para sua mãe, para um tio ou um amigo. Não precisa ser o texto inteiro, apenas a parte que te gera mais dúvidas. Não tenha vergonha de errar. Todo mundo erra, só que alguns fingem que não. Estes sofrem muito mais.

  6. Regularidade. Crie o hábito de escrever um pouco quase todo dia. Um dica muito legal, mas que acho que você não vai seguir por preguiça: escrever um diário. Há muitos estudos mostrando que escrever um diário traz muitos benefícios (outra reportagem, mais bem feita, mas em inglês): diminui o risco de depressão e ansiedade, acalma, ajuda a dormir melhor, a ter clareza sobre seus problemas, a fixar a aprendizagem, desenvolve a capacidade comunicação falada com outras pessoas etc. Como se tudo isso não bastasse, escrever um diário é a melhor maneira de desenvolver sua capacidade de escrever, pois você estará escrevendo sem pressão e sobre um assunto sobre o qual você tem muito a falar, sua vida.

  7. Adote a pré-escrita. Escreva as ideias da maneira que estão na sua cabeça, sem se preocupar com a qualidade. Isso te ajudar a organizar o texto e diminuir a angústia. Em algum momento posterior, você volta àquele trecho e reescreve de maneira adequada. Por exemplo, escreva algo como "aqui na introdução preciso explicar por que o controle do fluxo de caixa é importante para as empresas" ou "essa parte ainda está incompleta, é preciso falar que o ICMS é mais complicado que outros impostos porque é estadual". Essas frases estão muito ruins, mas não tem problema. É mais fácil começar escrevendo coisas assim do que tentar já escrever bem na primeira tentativa (o terceiro vídeo abaixo explica melhor essa ideia).

Resumindo, não veja a tarefa de escrever o artigo dessa disciplina como uma chatice irrelevante. Você pode escolher qualquer tema. Não veja como uma obrigação, mas como um prazer. Veja como uma chance de desenvolver uma habilidade muito importante para sua vida profissional e pessoal.

Afinal, quem não quer saber expressar melhor seus sentimentos em uma discussão ou escrever lindas mensagens de amor?


Robson Cruz, psicólogo e professor da PUC-MG, tem um curso inteiro no Youtube sobre como vencer o bloqueio da escrita acadêmica. Todos os vídeos são interessantes, mas recomendo especialmente os três vídeos a seguir (cada um tem entre 10 e 15 min.):